Semana da Cultura

Porto Nacional: Pontes entre o Passado e o Futuro.

Programação

Confira aqui a programação completa do evento!

Patronos

Carlos Drummond de Andrade e Raimundo Célio Pedreira

Livro e Leitura Tião Pinheiro

Editoras e Livrarias

Café Literário Moraes Moreira

Lives, Lançamentos de Livros e Manifestações Culturais

Espaço Institucional e Parceiros

Stands das Instituições

Patronos

Patrono Nacional

Carlos Drummond de Andrade

carlos-drummond-de-andrade-2_0

Em sua 39ª Edição, a Semana da Cultura de Porto Nacional homenageia este ano um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos: Carlos Drummond de Andrade – nascido na cidade de Itabira (MG) em 31 de outubro de 1902 e falecido em 1987. 

Um escritor que atravessava fronteiras, podendo falar para o público especializado sem perder a conexão com o público em geral. A homenagem a Drummond é um encontro feliz entre cultura e literatura.

Patrono Regional

Raimundo Célio Pedreira

Celio-Pedreiraedt

Homenagear o poeta tocantinense, Raimundo Célio Pedreira como Paraninfo Regional da 39ª Semana da Cultura de Porto Nacional é ler a nossa cultura de fora para dentro.

A caminhada literária desse portuense começou na tenra juventude, no Colégio Sagrado Coração de Jesus de Porto Nacional, onde pelas mãos habilidosas da professora Orcina Gomes Mascarenhas, iniciou seus escritos no formato de “redação”. 

Conheça abaixo um pouco mais da história, cultura e turismo de Porto Nacional TO

Comenda
Dr. Francisco Ayres

A comenda Dr. Francisco Ayres já é uma tradição na Semana da Cultura de Porto Nacional. Faz faz parte das comemorações de emancipação política e de história do Município. Criada pela Lei Municipal nº 1.582/97, de 16 de junho de 1997, o reconhecimento recebe o nome de um homem que lutou e alcançou representativo desenvolvimento para a região. Portuense, ele nasceu no dia 11 de setembro de 1872, na antiga Porto Imperial, hoje Porto Nacional. Filho do Coronel Joaquim Ayres da Silva e de dona Rachel Pinto Cerqueira Ayres. Começou os estudos em sua cidade natal, indo depois para Goiás Velho, a fim de terminar os estudos preparatórios. Seguiu então para o Rio de Janeiro, onde cursou Medicina e Farmácia. Concluiu os estudos em 1899 e voltou para Porto Nacional. Aqui exerceu a profissão de médico e de professor. Em 1902 se tornou Conselheiro Municipal, e a partir de 1905, também, jornalista. Fundou o extinto Jornal Norte de Goyaz, marcando a história do jornalismo norte goiano e colocando em destaque o predomínio cultural de sua cidade. De 1914 a 1937 foi Deputado Federal, época em que o congresso nacional foi fechado pelo Estado Novo, período em que o periódico Norte de Goyaz defendeu, através de suas páginas, a bandeira dos ideais nortenses.
Essa condecoração além de justa, simboliza o maior reconhecimento aos cidadãos que, de alguma forma, trabalharam pelo desenvolvimento econômico, cultural e social do Município.

Comenda
Mestre Adelino

Personalidades artísticas portuenses serão agraciadas com a Comenda Mestre Adelino Gonçalves, no dia 13 de julho, aniversário da cidade. A premiação é concedida anualmente e integra a programação dos 282 anos de história e 159 de emancipação política de Porto Nacional.
Levando o nome de um homem singular, a condecoração foi criada pela Lei Municipal nº 2.408, de 3 de julho de 2018, sendo este o maior Título Honorífico concedido pelo município a pessoas engajadas no movimento cultural e que tenham contribuído significativamente com o contexto histórico-cultural da cidade e do Estado do Tocantins.

 

Adelino Gonçalves

O Título Honorífico recebeu o nome de Maestro Adelino Gonçalves como reconhecimento e gratidão a um dos maiores músicos e ícone da cultura portuense.
Ele nasceu em Porto Nacional, no ano de 1892, e estudou com os frades dominicanos e com o próprio pai, José Theodoro Negry que já era maestro.
Compositor e instrumentista, Adelino criava suas próprias partituras e escreveu centenas de músicas de todos os gêneros.
No governo municipal do prefeito Dr. Antônio Coelho dos Santos, criou a “Banda de Música “Mestre Adelino”. Residiu também em Goiânia, onde faleceu em 25 de novembro de 1981, sendo sepultado na capital goiana.

Biblioteca Municipal
Eli Brasiliense

biblioteca

Prefeitura conclui reconstrução da Biblioteca Municipal Eli Brasiliense

Valiosa por representar a cultura, a história e por ajudar a construir a identidade da cidade, a Biblioteca Municipal Eli Brasiliense faz parte do dia a dia da gente portuense. Fomentar essa história viva por diversas gerações é um dos propósitos da Prefeitura de Porto Nacional, através da Secretaria Municipal da Cultura e do Turismo (Secult). A reconstrução da Biblioteca Municipal Eli Brasiliense foi concluída e, tão logo seja possível pôr fim às medidas de isolamento social necessárias nesse período de pandemia da Covid-19, a Gestão Municipal vai entregar esse prédio histórico ao convívio da população, depois de doze anos de abandono. Edificada no local do Antigo Mercado Municipal, na Rua Bartolomeu Bueno, no Centro da cidade, a biblioteca municipal foi criada pela Lei n° 866 de 12 de Março de 1980. Recebeu esse nome em homenagem a Eli Brasiliense, escritor goiano, nascido aqui em Porto Nacional, bastante conhecido aquém e além-fronteiras.
E de forma robusta, com uma equipe especializada em restauração de livros pelo SENAI de São Paulo, o seu acervo composto por mais de 70 mil livros está sendo higienizado e restaurado. Um processo valioso e inédito em uma gestão municipal.

Arquivo
Fotográfico

Navegue pela história de Porto Nacional através de fotos. Centenas de imagens que retratam nossa cidade

Canal do Youtube
Idearte Audiovisual

O canal Idearte – Núcleo de Produção Audiovisual de Porto Nacional – na rede social de vídeos Youtube é considerado um dos dez maiores do mundo, especializado em registro de patrimônio material e imaterial. O Canal é um coletivo de produção que tem como foco o patrimônio material e imaterial do Estado do Tocantins e, principalmente, de Porto Nacional. Trabalha para assegurar as reminiscências do mais novo Estado da federação, que conseguiu sua sonhada autonomia com a Constituinte de 1988. O portfólio do Canal pode ser acessado na plataforma como Idearte Audiovisual. São mais de 70 documentários disponíveis que retratam histórias e fatos que marcaram o antigo norte goiano. O cineasta João Luiz Neiva, um dos diretores do Idearte, contou que o Canal foi criado em 2012. “A partir deste instante vimos a necessidade de trabalhar melhor nossos produtos audiovisuais. O ser humano adora histórias, e histórias interessantes é o que a gente proporciona”, revelou.

Documentário "Operários das Letras: Artistas do Canto"

Cantores: Braguinha Barroso, Genésio Tocantins, Nacha Moreto, Dorivan, Luana Bogo, Lucimar, Keila Lipe, Léo Pinheiro e J.Bulhões (in memoriam)

Escritores: Edson Cabral, Léo Póvoa, Tião Pinheiro, Orian Milhomem, Osmar Casa Grande e Fidencio Bogo (in memoriam)

 

Documentário "Luthier"

O amor pela música e pelos instrumentos que a criam pelas mãos de uma figura portuense

Arte e Entretenimento

Galeria de Artes Rosalino Ferreira dos Santos

As obras que renderam o maior reconhecimento em sua existência deram ao portuense e artista plástico, Rosalino Ferreira dos Santos, uma alcunha no mundo das artes tocantinenses: “Mestre Rozalino”. É que as pinturas primitivistas nas quais homens e mulheres sertanejos aparecem, harmoniosamente, no cotidiano e ofícios do sertão, levaram seu nome ao cenário nacional e internacional, pela força do pincel, o rigor autêntico e a qualidade do próprio fazer artístico, tão erudito quanto popular. Era consagrado pelo trabalho de pintura naïf (do francês, ‘arte ingênua’ – dos artistas sem formação acadêmica sistemática. A expressão não se enquadra nos moldes acadêmicos, nem nas tendências modernistas e arte popular), com as pinceladas certeiras em que a mesma leveza e movimento do conteúdo se percebiam na forma. Não há, ainda, ninguém em Porto Nacional que usou o pincel com tanta intensidade, sentimento e reprodução da vida cotidiana, como Mestre Rozalino.
Assim, em comemoração ao aniversário de 282 anos de história e 159 anos de emancipação política da cidade, trazemos virtualmente à toda comunidade, a Galeria de Artes Rosalino Ferreira dos Santos.
Salve “Mestre Rozalino”! Ele sobrevive aos tempos. A sua arte faz bem ver! Rosalino com S é o seu nome original, mas Rozalino com Z, era como o artista assinava as telas. Artisticamente ele gostava assim.

Rosalino (In Memoriam)

L. Moreira - Telefone 63 99111-4769

Núbio Brito - Telefone 63 99226-0218

Jarbas Aires - Telefone 63 98489-2032

Porto Nacional
Berço da Cultura do Tocantins
O Antigo e o Moderno em uma única Cidade

catedral_de_porto
453065_1000

Município secular, um dos centros históricos e culturais do Tocantins, Porto Nacional tem origem no final do ciclo do ouro, como ponto de articulação dos garimpos de Natividade, Monte do Carmo e Bom Jesus do Pontal. Com o declínio da produção aurífera, a população dos arraiais próximos se transferiram para o Arraial de Porto Nacional , fundado às margens do Rio Tocantins, em 1805.
O núcleo urbano se desenvolveu lentamente devido ao isolamento e, ainda pode revelar particularidades de como era a vida na época, através do traçado das ruas e a arquitetura das casas de seu Centro Histórico.
Foi tombado pelo Iphan, em 2008. A área delimitada abrange cerca de 250 edificações, conjuntos de ruas, largos e praças, incluindo a Avenida Beira Rio e o entorno da Catedral Nossa Senhora das Mercês. Na cidade, destacam-se as edificações construídas pelos freis dominicanos como a Catedral da Matriz Nossa Senhora das Mercês, além de espaços públicos e residências.
Localizada a 52 km da capital Palmas e a 745 km de Brasília, tem sua população estimada em 53.000 habitantes. A história de Porto Nacional é originária nas terras de Felix Camoa, em 1738.
Em 14 de novembro de 1831, ano que Dom Pedro I abdicou ao trono, o jugado de Porto Real foi elevado a Porto Imperial. Após a proclamação da República e por determinação da Resolução Providencial de número 333, assinada por José Martins Alencastro, presidente da Província de Goiás, nascia assim, Porto Nacional, o mais importante polo cultural, social, político, econômico e social do então norte-goiano, hoje Estado do Tocantins. Além de Porto Nacional ser uma das maiores referências históricas do nosso Estado, o lugar atrai turistas, visitantes e estudantes de várias localidades que vem em busca de conhecer a cidade centenária, que também é considerada a ‘Capital do Agronegócio’, como um dos maiores PIB’s do Estado.
Em Luzimangues, Distrito sede do Município, se tem o maior pátio multimodal da Ferrovia Norte-Sul, em localização privilegiada no corredor de produção e exportação de grãos, compreendido entre o oeste da Bahia e o sul do Maranhão.
Além do seu desenvolvimento social e estrutural, Porto Nacional é um dos mais importantes destinos turísticos do Tocantins, a começar por suas praias de água doce: Porto Real e Luzimangues, onde a fauna e a flora contrastam com o antigo e moderno.
A cidade portuense tem saído na frente pela ótima localização e logística, ciente assim da capacidade que tem, no que se refere ao desenvolvimento econômico e a geração de emprego e renda.

Os documentos citados também provam que com o crescente vai-e-vem de aventureiros, de um lado para o outro do rio, não tardou que outros barqueiros aproveitassem a ideia do pioneiro lusitano e também comercializassem a travessia dos chegantes. Dessa forma, ao aproximar-se o inicio do século XIX, inúmeros casebres começaram a desenhar um pequeno aglomerado humano, abrigando ali agricultores, pescadores, trabalhadores preparados para o transporte de cargas em direção aos dois arraiais, e mineradores, muito mineradores, na busca diuturna das mais espetaculares pepitas de ouro já encontradas na região.    

artesanato
cultura de porto